Bebês gêmeos podem ter pais diferentes?

Bebês gêmeos podem ter pais diferentes

É possível gêmeos terem pais diferentes 1

Todo mundo sabe que filhotes de animais de uma mesma ninhada podem ser originados por pais diferentes. Agora, será que seria possível uma mãe ter filhos, bebês gêmeos, de pais diferentes também? Parece loucura, mas segundo a ciência esse fenômeno, apesar de raro, pode acontecer, sim. Vamos saber mais sobre essa curiosidade:

Pois é, pode parecer muito estranho, mas quem nunca viu irmãos gêmeos que realmente não se parecem em nada? Muitas desculpas e explicações costumam ser dadas, mas após a popularização do exame de DNA algumas pessoas passaram a descobrir que os gêmeos realmente tinham pais diferentes.

O fenômeno raro é chamado de superfecundação heteripaternal, que depende de uma junção de fatores para que possa ocorrer. A primeira coisa necessária para que isso possa acontecer é a mulher liberar dois óvulos no mesmo ciclo menstrual. A segunda é que ela precisa ter relações sexuais com dois homens diferentes durante esse período de fertilidade. A terceira coisa é que os espermatozoides de cada desses homens consigam fecundar um óvulo cada, além dos embriões de desenvolverem, a fim de gerar dois bebês.

Realmente esse é um procedimento nada simples e pouco provável, por isso mesmo que é chamado de fenômeno e não se vê ocorrer todos os dias. Segundo médicos especialistas em reprodução humana, é mais provável que esse fenômeno ocorra com mulheres que estiverem realizando algum tipo de tratamento com indutores de ovulação.

Um caso de bebês gêmeos com pais diferentes se tornou público em 2009, quando uma americana estranhou a enorme diferença entre os filhos e, então, resolveu realizar um exame de DNA para verificar a possibilidade deles terem pais diferentes, levando em consideração que ela reconheceu ter tido um caso extraconjugal na época em que engravidou. Foi confirmada a impossibilidade dos dois terem sido concebidos pelo mesmo pai. No final da história o marido desta mulher acabou assumindo também o bebê que não era seu filho legítimo.

São bem raros os casos de bebês gêmeos com pais diferentes na literatura de medicina, especialmente porque quando isso ocorre acaba ficando no anonimato, levando em conta que as mães tendem a ficar constrangidas com a possibilidade de assumir uma possível traição ou o fato de ter tido vários parceiros, mesmo que fosse solteira. Sendo assim, é muito comentado toda vez que um fato desses vem a público, como o da americana.

 

Por Íngrid de Castro

Deixe um comentário