Benefícios do Ômega 3

Você já deve ter ouvido maravilhas a respeito do ômega 3 , mas será que você sabe realmente o que esse poderoso “óleo” é capaz de fazer para a sua saúde?

O  Ômega 3 é um tipo de gordura, conhecido como ácido graxo essencial pois é muito importante para uma boa saúde. O corpo humano não é capaz de produzir Ômega 3, tendo que obtê-lo através da alimentação.

Várias pesquisas realizadas pelo mundo vem demonstrando dia após dia os benefícios do Ômega 3 para o coração e todo sistema circulatório.

Os principais benefícios do Ômega 3 são:

– Atividade antiinflamatória;
– Atividade anti-trombos (entupimento dos vasos sanguíneos);
– Redução dos níveis de colesterol e triglicerídeos e
– Redução da pressão arterial.

Os benefícios do Ômega 3 são tantos que podem auxiliar na redução do risco de desenvolver diversas doenças, como por exemplo:

– Diabetes;
– Acidente vascular cerebral (derrame);
– Artrite reumatóide;
– Asma;
– Síndromes inflamatórias intestinais (colites);
– Alguns tipos de câncer;
– Declínio mental.

Alguns estudos também apontam o Ômega 3 no combate da depressão, melhora de humor, aprendizado e para o sistema imunológico.

Os melhores alimentos ricos em  ômega 3

As melhores fontes de Omega 3 são os peixes, algumas espécies possuem maior quantidade.
Peixes ricos em Ômega 3
– Cavala
– Arenque
– Sardinha
– Salmão
– Atum
– Bacalhau

 

 

 

Existem outras importantes fontes de Ômega 3:

– Semente de linhaça
– Castanhas e nozes
– Óleos vegetais (azeite, óleo de soja, canola)
– Vegetais de folhas verdes escuro.

Como consumir o Ômega 3

Recomenda-se a ingestão de pelo menos 2 porções de peixe por semana, mas se for possível incluir outras fontes de omega 3 maiores serão os benefícios.

O que evitar?

Os peixes devem ser assados, cozidos ou grelhados. Não se deve fritá-los, pois este processo destrói o Ômega 3.

Alguns peixes são pobres em omega 3, dentre eles a tilápia, que contém quantidades de Omega 6 semelhantes à carne vermelha.

Apesar de os benefícios do ômega 3 serem comprovados cientificamente, seu consumo numa dosagem muito além daquela encontrada nos peixes preocupa os pesquisadores, pois ainda não se sabe que efeitos essas altas doses podem ter no organismo a longo prazo. Atualmente ele é largamente comercializado nas farmácias na sua forma concentrada em cápsulas, algo que ainda não foi avaliado pela ciência.

 

fonte :www.bancodesaude.com.br.

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário