Benefícios do Selênio no Organismo

Mineral com importante ação antioxidante, o Selênio ativa as defesas do nosso organismo, que auxiliam na prevenção de várias doenças, entre elas o câncer, diabete e tireóide. O selênio é essencial em muitos processos do corpo humano, estando presente em praticamente todas as células, especialmente nos rins, fígado e pâncreas.

O selênio está presente em muitos alimentos, como: nozes,mariscos, carnes, arroz integral, grãos, alho, castanha do pará, camarão, caranguejo, salmão, frango, carne suína, carne bovina, farinha de trigo integral e leite.

Um dos principais motivos para a deficiência de selênio é uma dieta pobre, baseada em alimentos industrializados e refinados. O refinamento dos alimentos causa perda significativa de selênio. Por exemplo, no pão integral a quantidade de selênio e duas vezes maior que no pão branco.

Quando a dieta é pobre e deficiente em selênio os sintomas percebidos são dores musculares, fadiga e fraqueza muscular, também podem ser observadas manchas brancas nas unhas.

Grãos são boas fontes de selênio, dependendo da concentração de selênio no solo e água onde crescem. A castanha do Pará, por exemplo, é considerada como uma das melhores fontes e o consumo diário de uma a duas unidades fornece todo o selênio necessário para o dia.

O selênio é um mineral que participa da formação de enzimas de ação antioxidante. Também melhora a utilização da vitamina E, importante na neutralização dos radicais livres. Assim atua retardando o processo de envelhecimento e prevenindo doenças cardiovasculares. Na deficiência de selênio é observada maior produção de substancias pró-inflamatórias por nosso corpo. Assim o sistema imunológico fica sobrecarregado e mais fraco. O uso de selênio tem papel no bom funcionamento do sistema imunológico, evitando gripes, infecções e viroses.

O consumo adequado de selênio, zinco e iodo está relacionado ao bom funcionamento da tireóide. Estudos mostram que a deficiência de selênio pode reduzir a conversão dos hormônios da tireóide, de T4 em T3, que é a forma mais ativa do hormônio. Além de pesquisas indicarem que a deficiência de selênio aumenta o risco do desenvolvimento de câncer de pulmão, próstata e ovários. Já o consumo adequado está relacionado à menor risco de câncer de intestino, próstata, ovário e leucemia.

O selênio também melhora o trabalho do fígado na eliminação de toxinas; ajudando na eliminação de metais pesados como mercúrio e cádmio que estão relacionados a doenças neurodegenerativas como Alzheimer.
Por Malanny Serejo /Fonte: Flávia Morais – Nutricionista da rede Mundo Verde

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário