Cirurgia da Orelha de Abano – Otoplastia

Cirurgia para correção de deformidades na orelha externa, a Otoplastia repara anomalias do crescimento, deformidades adquiridas por trauma ou outras doenças, sendo a deformidade mais conhecida é a orelha em abdução, popularmente chamada de “orelha-de-abano”.

A “orelha de abano” pode ser desenvolvida por fatores genéticos, características familiares ou raciais, que têm papel predominante no estabelecimento de alterações no formato da orelha. Outro fator importante é o crescimento das cartilagens, embora na maioria dos casos de orelha em abdução a deformidade já possa ser notada ao nascimento.

Nas crianças, os pais podem perceber a alteração na forma da orelha muito cedo e procurar rapidamente solução. O diagnóstico é feito pelo médico e nos casos de orelha em abdução somente o exame clínico é suficiente para chegar a uma conclusão. As deformidades da orelha se localizam fundamentalmente em dois pontos: na concha (a parte funda da orelha) que está muito elevada e na anti-hélix (a parte mais saltada no meio da orelha) que não está bem “desenhada”.

Como em toda a cirurgia estética, a Otoplastia só deve ser feito por auto-indicação, ou sejam, deve partri da própria vontade do paciente. Na otoplastia, normalmente é realizada a aproximação da orelha na cabeça, corrigindo a  forma e o “desenho”. A cirúrgia é feita através de um corte interno na pele atrás da orelha. Em seguida a pele é descolada da cartilagem, tratada e fixada na nova posição com pontos internos. Os pontos internos não precisam ser removidos.

A anestesia pode ser local, local com um anestesista propiciando uma sedação, ou geral. A escolha do método de anestesia, sempre em comum acordo com o anestesista, levará em consideração o tamanho da cirurgia, as condições clínicas, psicológicas e a idade do paciente.

Cirurgia de caráter ambulatorial (onde se recebe alta algumas horas após a recuperação da anestesia), após a otoplastia, o paciente fica com um curativo, gazes e atadura (como um capacete) por um a dois dias. Os cuidados pós-operatórios podem variar de acordo com o tipo de procedimento efetuado. O inchaço maior ocorre nos dois primeiros dias, que vai diminuindo gradativamente. Os pontos externos são retirados entre 6 e 8 dias. Contudo vale ressaltar que a total cicatrização e acomodação dos tecidos em seu novo local demoram mais algum tempo. Em média três meses são necessários para se observar o resultado final.

 

Por Malanny Serejo / Fonte: www.abcdasaude.com.br/www.cirurgiaestetica.com.br.

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário