Cirurgia de redução de estômago e obesidade

operação-reduçã-estomago

Redução de estômago

A cirurgia de redução de estomago é indicada para os obesos mórmidos a pessoa passa a comer menos porque o estômago não admite maior volume de alimento.

Mas uma cirurgia não quer dizer que seja o fim dos problemas de obesidade já que alguns pacientes substitui uma compulsão por outra por isso deve haver um acompanhamento pós-cirúrgico para que a pessoa não volte a engordar

Pacientes submetidos à cirurgia de redução do estômago alguns anos apresentam um considerável ganho de peso ou até mesmos outros distúrbios como alcoolismo, anorexia, bulimia, bruxismo, aumento excessivo de cáries e dentes quebradiços.

As opções disponíveis de cirurgia de redução de estômago (tecnicamente conhecida como cirurgia bariátrica):

Gastroplastia vertical com bandagem (VBG)
Grampos cirúrgicos são usados para dividir o estômago em duas partes. A parte de cima é menor, o que limita o espaço para alimentos. A comida sai da parte superior para a de baixo através de uma pequena abertura. Uma bandagem é colocada em volta dessa abertura de modo que ela não se alargue. Os riscos da gastroplastia vertical com bandagem incluem o desgaste da bandagem e avaria na linha de grampos. Em pequeno número de casos, sucos estomacais podem vazar para o abdome ou pode acontecer infecções ou morte decorrente das complicações.

Banda gástrica ajustável por laparoscopia (Lap-Band)
Uma banda gástrica inflável é colocada ao redor do estômago superior para criar uma bolsa menor e estreitar a passagem para o resto do estômago. Isso limita o consumo de comida e cria sensação precoce de saciedade. Quando a banda é colocada no local ela é inflada com salina. A banda é ajustável ao aumentar ou diminuir a quantidade de solução salina para mudar o tamanho da passagem. Complicações podem incluir náusea e vômito, queimação no estômago, dor abdominal e deslizamento da banda.

Derivação gástrica com Y de Roux (RGB)
O cirurgião faz a redução do estômago usando grampos cirúrgicos para criar uma bolsa estomacal menor. A bolsa estomacal é fixada ao intestino. O alimento desvia pela parte superior do intestino e estômago e vai para a parte do meio do intestino delgado através de uma pequena abertura. O desvio no estômago limita a quantidade de alimentos que a pessoa pode comer. Ao desviar de parte do intestino, a quantidade absorvida de calorias e nutrientes é diminuída. A pequena abertura diminui a taxa na qual a comida deixa a bolsa estomacal. Um risco para o paciente é quando o conteúdo do estômago vai muito rápido para o intestino. Sintomas podem incluir náusea, fraqueza, transpiração e diarréia depois de comer. Efeitos colaterais incluem infecção, vazamento, embolismo pulmonar, cálculo biliar e deficiência de nutrientes.

Derivação biliopancreatica (BPD)
Uma grande parte do estômago é removida. A quantidade de alimentos é restringida, assim como a produção de ácidos estomacais. A bolsa estomacal que permanece é conectada diretamente ao segmento final do intestino delgado, desviando completamente das outras partes.

Vale lembrar que a cirurgia de redução de estomago é como uma dieta para que você tenha um sucesso tem que se exercitar, reduzir doces fazer uma reeducação alimentar dar continuidade ao tratamento.

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

8 Comentários

  • Fiz a cirurgia dia 02/10/09 ja emagreci 40kg e estou muito feliz .Me sinto uma nova mulher .Tenho 37 anos sou viuva a 09 anos tenho tres filhos maravilhosos . Meu pos cirurgico foi tranquilo nao me arrependo de nada e estou muito feliz .bjus..

    • Olá Eliane, gostaria de saber se você tem msn, estou penando em fazer a cirurgia e gostaria de conversar com algume que ja fez. Obrigada Camila

  • POR FAVOR ME AJUDE A OPERA meu nome é monica tenho 27 anos nunca fui magra tenho fotos que comprove estou pesando 120kilos tem 1,62 de altura sou hipertensa severa faso usso de 4 medicaçoes para comtrola essa minha presao alta mas minha medica disse que agora so com a cirrurgia presiso de ajuda tenho medode meus rins pararem ou meu coraçao começar a delata por favor alguem me ajude ñ consigo me inscrever nem pagar essa cirurgia ganho muito poucao obrigado

  • fiz ha 1 ano e meio a reduçao ..estou com medo pois nao tenho acompanhamento psicologico nem de nutricionista,nao mudei meu habito alimentar .so passei a comer menos.tenho medo de perder minha cirurgia e nao sei oq ue fazer..tenho damping sempre e estou emagrecendo com dificuldade.sera que ainda posso fazer alguma coisa para mudar isso?queria umas informaçoes a respeito ,nao tenho acesso a nutricionista nem psicologo ainda sem plano..que faço?

    • Olá Marcia o ideal é você procurar um médico e fazer novos exames para avaliar como anda a sua cirurgia. Os hospitais que fazem a redução de estomago tem médicos grátis para acompanhar os pacientes procure o seu médico ou a clinica ou hospital onde fez a cirurgia é o melhor a fazer .

  • Estarei entre os operados em breve (26/10) e aprendi mt coisa acompanhando cada exame,cada reunião e decididamente meu médico disse tudo quando me falou “opero seu estômago e não sua cabeça!”, é uma luta mt grande com você, com sua rotina,meio onde vive,pessoa a qual convive e porisso devemos buscar forças e ir em frente, pois as doenças associadas são terriveis.

  • Estou entrando nesta discussão para saber se é verdade que quem faz essa cirurgia fica inválido para o trabalho definitivamente? Alguém pode me responder?

  • Muito boa matéria. Realmente é como você diz, a cirurgia não resolve tudo. É importante que depois da cirúrgia haja um acompanhamento a diversos níveis: psicologia, nutrição,… De todos os casos que tenho ouvido falar, as pessoas fazem a cirúrgia e depois passam anos a fio a alimentar-se só de um iogurte diário e pouco mais… deixam de ser acompanhadas e é o desastre total.
    É uma via sim, sobretudo para obesos muito, muito mórbidos, mas há que pesar bem e ter consciência de que há depois muito trabalho a fazer.

Deixe um comentário