Dicas e cuidados para não ter herpes no verão

herpes-labial

O verão é a temporada do sol e pra isso precisamos ter alguns cuidados e reforçar a proteção labial para evitar o aparecimento do herpes simples, doença infecciosa causada por vírus, que fica mais latente quando a pessoa se expõe de forma prolongada ao sol.

A herpes simples aparece devido o fato de o verão baixar a resistência da pele, a estação fica associada ao aparecimento do surto viral do herpes, mas há outros fatores desencadeantes como baixa temperatura, estresse, fadiga física e mental, febre ou infecções que diminuam a resistência orgânica.

A herpes simples tambem costuma aparecer nas mulheres no período menstrual. Uma vez infectada pelo vírus, a pessoa permanecerá com ele em seu organismo para sempre.

A herpes aparece e desaparece sozinha e se manifesta em forma de bolhas isoladas ou em grupo, que tendem a aumentar rapidamente, causando, por vezes, comichão, irritação, ardor e ulceração. Em alguns casos, estas vesículas podem entender-se a outras zonas da face, ocasionalmente no olho e na região periorbital. O rompimento das bolhas libera um líquido rico em vírus e forma uma ferida; é a fase de maior perigo de transmissão. A duração da doença é de cerca de 5 a 10 dias.

Como é feita a prevenção do aparecimento do Herpes simples?

O herpes é altamente transmissível. Cuidados locais de higiene é fundamental para evitar o aparecimento tais como: lavar bem as mãos, evitar beijar ou falar muito próximo de outras pessoas (se for labial), evitar relações sexuais (se for de localização genital) e não furar as bolhas sob nenhum pretexto.

O tratamento deve ser iniciado tão logo comecem os primeiros sintomas. Os medicamentos antivirais, por via oral e tópica, têm como objetivo encurtar a duração dos sintomas, prevenir as complicações e diminuir os riscos de transmissão, pois o vírus não pode ser completamente eliminado.

A alimentação para evitar o aparecimento do herpes

Alguns alimentos estimulam o vírus do herpes, enquanto há outros capazes de refreá-lo,como: Chocolate, milho, coco, massas, amendoim, nozes, aveia, cevada e couve de bruxelas possuem em sua composição Arginina. Trata-se de um aminoácido que atua em vários mecanismos do organismo, como divisões de células e remoção de amônia do corpo, mas seu consumo em excesso afeta o vírus.

Já os alimentos ricos em Lisina como queijos, ovos, peixes e lacticínios em geral estimulam a “morte” ou “hibernação” do vírus, criando uma espécie de capa protetora em torno dele.

Herpes Zoster é a forma mais grave

O herpes simples não deve ser confundido com o herpes zoster, que tem quadro clínico bastante diferente. As lesões são muito mais extensas e estão associadas à dor intensa e persistente. Nesse caso, o tratamento precisa ser mais agressivo, porque a doença é mais grave.

O herpes zoster é uma doença viral causada pelo Varicella-zoster virus, o mesmo vírus causador da varicela (catapora). Após a varicela, algumas pessoas não desenvolvem imunidade total ao vírus, que permanece latente em gânglios próximos à coluna vertebral.

Quando encontra condições de se desenvolver, o vírus reativa-se e chega à pele através dos nervos correspondentes ao gânglio.

Acomete homens e mulheres, sendo mais frequente na idade adulta e nos idosos. O surgimento do herpes zoster pode ser um indicativo de uma baixa da imunidade.

Fonte: jornal da orla

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário