Dicas para Superar o Divórcio

Em geral, são muitos os motivos que contribuem para os crescentes divórcios registrados no país. Muitos deles, envolvendo traição, novos amores, incompatibilidades que foram crescendo entre as duas pessoas, desequilíbrio na divisão das responsabilidades domésticas, rotina, etc.

O divórcio pode surgir na vida de um casal de um momento para outro, proposto por uma das partes; ou pode ser uma decisão mútua; Porém, em qualquer que seja o caso, o fim da vida a dois é sempre acompanhado de muita dor e sofrimento. Lidar com o divórcio não é fácil, mas existem dicas que podem amenizar o sofrimento nesta fase. Confira, abaixo, sugestões para superar o divórcio:

– Para quem vai se divorciar, é importante saber que, mesmo parecendo que o mundo desabou e você daria tudo para não ter de sair da cama, mantenha a calma, tudo isso é normal. Desde vergonha e culpa, a medo e ansiedade, todos estes sentimentos surgem no período pós-divórcio e são necessários para iniciar e concluir o processo de recuperação. Embora a tristeza e a angústia sejam penosas e difíceis de vencer, é importante saber que este processo tem um princípio, meio e fim.

– No meio desta montanha russa de emoções surgem muitas outras preocupações: os filhos, a restante família, a casa, os carros, os amigos… Nesta fase, rodeie-se de familiares e amigos que a possam apoiar a 100%, seja com as compras da casa, levar os pequenos à escola ou informar os restantes amigos daquilo que se está a passar. Faça o que fizer, não se isole do mundo!

– Deixe de falar no seu ex-marido, na vida passada de vocês e em todos os “ses”: “se eu tivesse feito aquilo”, “se eu tivesse dito que sim” não a vão ajudar em nada se tem um processo de divórcio a decorrer ou finalizado. O passado é o passado. Isso não quer dizer que não tenha direito ao seu período de luto. Claro, que tem. Mas até isso deve ter um prazo, pelo bem da sua tranquilidade emocional e mental.

– Um dos sentimentos mais comuns ligados ao divórcio é o de uma perda irrecuperável, como se tivesse falecido alguém muito próximo – felizmente não é esse o caso, mas exige-se um período de luto. Não de isolamento, mas de luto. Sendo importante não deixar de vivenciar esse momento. Contanto, atente para ele não durar muito, se passarem semanas ou meses, e você sente que não está conseguindo se desligar da situação, é hora de buscar ajuda terapêutica.

 

Por Malanny Serejo

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário