Ginástica Funcional – Exercícios

Uma das aulas mais disputadas atualmente nas academias, a Ginástica Funcional trata-se de um método de exercícios que usa o peso do próprio corpo e movimentos mais complexos para garantir saúde, flexibilidade, explosão, equilíbrio e, consequentemente, um corpo invejável. Nascida nos Estados Unidos há mais de duas décadas, ela é hoje tida como o que há de mais usado e eficaz na área de treinamento físico e bem-estar.

E, são muitos os benefícios proporcionados pela prática, que trabalha o corpo de forma globalizada, ativando vários grupos musculares em um mesmo exercício. Feitos de modo mais natural que os realizados normalmente com o uso de pesos e máquinas de musculação, onde trabalham grupos musculares isoladamente. Em contrapartida, a ginástica funcional deixa o corpo mais longilíneo e alongado, com definições musculares mais leves, sendo os exercícios ideais principalmente para as mulheres.

A ginástica funcional ensina uma nova forma de se movimentar. As aulas são compostas pelos movimentos do dia-a-dia, divididos em sequências específicas que ajudam a pessoa a ganhar maior capacidade motora, passando a conhecer e usar corpo da maneira certa.

A ginástica funcional é indicada no tratamento de diversas doenças,inclusive quem sofre de dores crônicas, inclusive as causadas pelo sedentarismo e pelo excesso de horas em frente ao computador, pois os exercícios da ginástica funcional – que compreendem técnicas de alongamento e movimentos suaves e relaxantes – visam, principalmente, corrigir vícios de postura e movimento para melhorar o funcionamento do corpo.

Sem contra-indicações, a ginástica funcional é excelente e muito recomendada para pessoas de idade mais avançada. Nela, são trabalhados os estímulos de equilíbrio, coordenação, força e explosão. Desenvolve maior consciência e inteligência corporal e capacidade ao corpo de perceber nossa localização, posição e movimentação, independentemente dos comandos racionais do cérebro.

Para os idosos, isso se reflete em menos riscos, por exemplo, de ao pisar em terrenos irregulares, como estradas de terra ou areia fofa, torcerem o pé em algum buraco ou desnível. Com os proprioceptores “ativados”, o pé se corrige “automaticamente” protegendo-os de maiores danos e perigos.

Por Malanny Serejo

 

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário