Herpes Zoster Tratamento

Conhecido como “cobreiro”, o herpes zoster é uma doença viral causada pelo Varicella-zoster virus, o mesmo vírus causador da catapora. Pode incidir em homens e mulheres, sendo mais frequente na idade adulta e nos idosos. O surgimento do herpes zoster geralmente é indicativo de uma baixa da imunidade, que pode vir em decorrência de alguma outra doenças ou pelo stress.

O herpes zoster é uma doença auto-limitada, tendo um ciclo evolutivo de cerca de 15 dias. Antes do surgimento das lesões na pele, ocorrem no local sintomas dolorosos como formigamento, pontadas, “pele sensível” ou queimação (devido à inflamação do nervo). Durante a exposição à doença os sintomas dolorosos podem se agravar, podendo tornar-se muitas vezes insuportáveis. Entretanto a dor melhora gradativamente mas, nas pessoas idosas, pode permanecer por meses ou anos após o final do quadro, caracterizando neste caso a doença chamada de neuralgia pós-herpética.

As manifestações do herpes zoster na pele iniciam-se pela formação de vesículas que podem formar bolhas contendo líquido transparente ou ligeiramente amarelado, seguindo o trajeto de um nervo. Em alguns dias, assim como na catapora, as lesões secam e formam crostas que caem com o passar dos dias e deixando discretas manchas no local que tendem a desaparecer.

Os nervos atingidos com maior frequência são os localizados entre as costelas, provocando manifestações no tronco, mas outros nervos também podem ser afetados.

O tratamento do herpes zoster deve ser iniciado logo que os sintomas começarem a surgir, evitando assim algum dano irreparável ao nervo atingido que poderia resultar em neuralgia pós-herpética. Os medicamentos utilizados no tratamento do herpes zoster devem ser indicados por um médico dermatologista, e incluem a terapia antiviral, que acelera a cicatrização, reduzindo o número e dias de desenvolvimento de lesões novas e aliviando a dor do zoster. A terapia antiviral deve ser iniciada dentro das primeiras 72 horas depois do início das lesões de pele, principalmente em pacientes com mais de 50 anos ou imunocomprometidos.

Por Malanny Serejo / Fonte: www.dermatologia.net.

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário