Hipotireoidismo e Hipertireoidismo – Diferenças

Doenças comuns da tireóide (glândula em forma de borboleta localizada no pescoço logo abaixo da região conhecida como “pomo de Adão”),o hipotireoidismo e o hipertireoidismo costumam confundir algumas pessoas quanto suas causas e origens. Mas toda a causa dos dois problemas advém dessa pequena glândula, responsável por grandes alterações no nosso organismo e suas funções.

Como a tireóide produz dois hormônios muito importantes para o organismo: o T3 e o T4q, que mantém o controle sobre o funcionamento de diversos órgãos, interferindo diretamente em processos como crescimento, ciclo menstrual, fertilidade, sono, raciocínio, memória, temperatura do corpo, batimentos cardíacos, eliminação de líquidos, funcionamento intestinal, força muscular e até no controle do peso corporal. O bom funcionamento da tireóide depende da presença de um hormônio chamado TSH, produzido pela hipófise – outra glândula ainda menor (do tamanho de uma ervilha), localizada na base do cérebro, atrás dos olhos.

O hipotireoidismo acontece quando a tireóide começa a ficar, digamos, “preguiçosa”, não conseguindo produzir quantidades suficientes de T3 e T4.

O maior causador dessa doença costuma ser a tireoidite crônica de Hashimoto, alteração onde anticorpos produzidos pela própria pessoa de repente passam a atacar a tireóide, destruindo suas células. Mas outras causas também estão ligadas ao mal. Como a deficiência de iodo, cirurgia em que se retira a tireóide, radiação e após alguns tratamentos para hipertireoidismo.

Para se detectar O hipotireoidismo, é necessária a realização de um exame chamado TSH elevado, o mais indicado para confirmar o hipotireoidismo, que serve para mostra que a hipófise está tentando estimular a tireóide a funcionar mais. Alguns dos sintomas mais habituias da doneça costumam ser: desânimo, intestino preso, redução de memória e raciocínio, alterações menstruais, sonolência, ganho de peso, rouquidão, inchaço, sensação de frio, elevação do colesterol, abortos repetidos, queda de cabelo e pele seca.  Em crianças, pode causar ainda atraso do crescimento e, se não tratado a tempo, deficiência mental grave.

Ao contrário do hipotireoidismo, o hipertireoidismo se caracteriza por deixar a tireóide “acelerada”, que, dessa maneira, começa a produzir os hormônios T3 e T4 em excesso, temos um quadro de hipertireoidismo. Exames de T3 e T4 elevados com um TSH baixo geralmente confirmam o diagnóstico. Os sintomas mais freqüentes são tremores, palpitação, arritmias, emagrecimento rápido, aumento de apetite, agitação, insônia, sensação de calor,

mãos quentes, aumento da região anterior do pescoço, sudorese e fraqueza muscular. Porém, em pessoas idosas, os sintomas podem passar quase despercebidos.

É atribuída a doença de Basedow-Graves, onde anticorpos produzidos pela própria pessoa começam a estimular descontroladamente a tireóide causando o excesso de hormônios. Nesta doença, os principais sintomas aparecem nos os olhos, que ficam salientes e arregalados, devido a um inchaço dos músculos que ficam atrás dos olhos.

Entre outras causas estão tumores benignos em forma de nódulos produtores de hormônios e o bócio multinodular (aumento da tireóide com vários nódulos). Dependendo das características do nódulo, podem ser solicitados exames de sangue, o tireograma (mapeamento de captação da tireóide), a ultra-sonografia e uma punção aspirativa – feita com agulha fina guiada por ultra-som.

Por Malanny Serejo

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário