Micose de Praia – Tratamento

As micoses estão no topo da lista das doenças de pele mais freqüentes. Principalmente em nosso país, tropical, com grande frequência às praias, muito sol, onde o suor e o contato com roupas molhadas são, dentre outros, os ingredientes certos para a disseminação das micoses. Existem diversos tipos de micoses, mas a de praia é a mais costumeira delas.

Também chamada de Pano ou Pano Branco, dermatologicamente, o seu nome é Pitiríase versicolor. A constatação da micose, na maioria das vezes, se faz após idas freqüentes e repetidas à praia, sendo provável que o fungo esteja presente na pele antes mesmo de chegar nela. Onde, sob a ação dos raios solares, as áreas da pele livres do parasita se pigmentam normalmente, entretanto nos locais onde já estão as colônias do fungo, a pele assume tonalidades diferentes, indicando aí, a presença da micose.

A micose de praia produzida por um fungo microscópico, parasita que se instala na superfície da pele, ocasionando o aparecimento de manchas amareladas, brancas ou pardas, podendo assumir outras tonalidades. Que geralmente vem acompanhadas de coceira ou formigamento, devido a exposição solar. As manchas ou lesões, localizam-se no tronco, pescoço e braços. Porém, se não tratadas adequadamente, podem-se espalhar por todo o corpo.

Para um tratamento eficaz e seguro da micose de praia, a consulta a um médico dermatologista é necessária, que poderá ser feita à base de medicamentos de uso tópico, como sabonetes, xampus, cremes, loções e sprays. Ou via oral, através de comprimidos. Dependendo do grau de cada caso. É preciso seguir o tratamento à risca e até o fim. Pois, mesmo após um tratamento correto, a micose pode retornar, ou voltar a crescer logo após o tratamento. Porque é causada por um fungo que, normalmente, já se encontra hospedado na pele.

Por Malanny Serejo / Fonte: dermatologia.net

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário