O que Fazer Quando o Marido é Alcoólatra

O alcoolismo ainda não possui uma resposta única ou definida para sua causa. Em geral, as pessoas passam a ultrapassar os limites da bebida, em geral, usando-o como válvula de escape para problemas psicológicos e do dia a dia. No caso dos homens, por questões mal resolvidas no trabalho ou, muitas vezes, devido à própria influência da companhia de amigos que bebem muito e podem ser dependentes do álcool.

Algumas pessoas que bebem ainda podem passar longos períodos sem beber uma gota sequer e, em seguida, entregam-se a prolongadas “bebedeiras”, durante as quais acham impossível parar de beber. Se esse último caso tem acontecido com o seu marido, é importante tentar fazer com que ele desabafe com você, e assim descobrir o porquê dessa atitude.

Porém, qualquer que seja a causa ou o padrão do alcoolismo, deve-se ter em mente que você sozinha não pode fazer com que ele pare de beber. É ele quem tem de tomar essa decisão sozinho. Mas existem algumas atitudes que você pode ter para lidar melhor com esse problema e auxiliar seu marido no processo de recuperação. Confira, abaixo, o que fazer quando seu marido bebe demais:

– Primeiramente, não arrisque seu próprio bem estar físico e mental. Certifique-se de proteger a sua saúde e defenda atitudes construtivas.

– Não importune, repreenda ou se envolva em situações que provoquem raiva. Todas as abordagens hostis humilham a pessoa que bebe. Elas podem gerar violência ou causar no seu marido sensação de ausência de valor pessoal, para a qual a bebida já se tornou o remédio.

– Tentar barganhar com as emoções do alcoólico, numa tentativa de fazer que ele pare de beber nunca costuma dar certo. Não peça ao seu marido, por exemplo, que demonstre amor por você deixando de beber, pois ele não conseguirá livrar-se do vício imediatamente, e isso aumentará a frustração dele. Da mesma forma, não ameace abandoná-lo, a menos que você pretenda realmente levar adiante tal ameaça.

– Não jogue fora as garrafas que achar escondidas pela casa. Você se arrisca a provocar violência e destruir os laços de confiança que ainda possam existir. O alcoólico encontrará maneiras de obter mais suprimentos. E, caso não consiga mais bebida, a abstinência forçada vai apenas precipitar uma crise com a qual você pode ser incapaz de lidar.

– Não tente encobrir o hábito de beber do seu marido, protegendo-o das conseqüências de seu vício. Esse erro, com freqüência, se manifesta por meio do pagamento das dívidas assumidas pelo alcoólico. No caso de dívida em dinheiro, deixe que ele enfrente o problema. Ao suavizar o caminho, você age apenas como um “facilitador”, encorajando indiretamente o hábito de beber.

– Reconheça que o alcoolismo é uma doença. Não há vantagem alguma em considerá-lo um sinal de fraqueza ou de comodismo ou em tentar fugir da realidade.

– Encoraje o seu marido que bebe a ingressar nos Alcoólicos Anônimos (AA). Faça a sugestão com cuidado e ofereça-se para acompanhá-la nas reuniões de abertura. A freqüência não é obrigatória e a pessoa não precisa identificar-se pelo nome completo.

– Encoraje firmemente os hobbies e as atividades que interessem ao seu marido, contanto que o mantenham afastado do álcool. Tente evitar tudo aquilo que de alguma forma esteja ligado às bebida, como qualquer tipo de atividade que aconteça em um bar.

Por Malanny /Fonte: saudeinformacoes.com.br/.psicosite.com.br

 

Deixe um comentário