Pressão alta sintomas e prevenção

hipertensao

Pressão Alta

A hipertensão, conhecida como pressão alta, é uma doença silenciosa que afeta os vasos sanguíneos, coração, cérebro, olhos e rins.

Sendo uma doença silenciosa, apresenta alguns sintomas com a pressão elevada, muitas vezes passando desapercebida trazendo algumas complicações em órgãos citados.

Muitas vezes é uma doença herdada dos pais, mas juntada a outros fatores desencadeantes, como o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas, obesidade, estresse, sedentarismo, consumo exagerado de sal e colesterol alto pode aparecer sem ao menos se sentir nada anteriormente.

Os sintomas dores no peito, fraqueza, dor de cabeça, tontura, zumbido no ouvido e perda de sangue nasal são apenas percebidos quando a pressão já está bem elevada.

A hipertensão não tem cura, somente controle através de tratamento e acompanhamento médico. Por isso o melhor tratamento é a prevenção.

Para isso mantenha um estilo de vida saudável, com a prática diária de atividade física, manter um bom hábito alimentar, evitar alimentos gordurosos, manutenção do peso adequado, controle de diabetes, ingestão de pouca quantidade de sal, não fumar, não beber e procurar aproveitar os momentos de lazer.

O tratamento pode ser feito para tentar reduzir a doença com medicamentos prescritos por médicos especializados na parte cardiovascular.

O tratamento com medicamentos você deve ter alguns cuidados:

O medicamento deve ser eficaz por via oral e bem tolerado.

Deve permitir o menor número de tomadas diárias.

O tratamento deve ser iniciado com as doses menores possíveis e se necessário aumentado gradativamente ou associado a outros, com o mínimo de complicações.

O medicamento deve ter custo compatível com as condições socioeconômicas do paciente para permitir a continuidade do tratamento.

Em alguns casos o tratamento medicamentoso da hipertensão arterial pode ser necessário por toda a vida.

Os controles médicos devem ser periódicos para o acerto das dosagens medicamentosas e acompanhamento da evolução da doença cardiovascular.

Deixe um comentário