Reposição Hormonal – Dúvidas e Respostas

A reposição hormonal ou terapia estrogênica no climatério (menopausa) visa minimizar ou prevenir as alterações decorrentes do hipoestrogenismo na pós-menopausa e corrigir as disfunções menstruais da pré e perimenopausa. Nessas fases podem ocorrer também sintomas neuropsíquicos de alterações de humor e sintomas depressivos, revertidos por meio da terapia estrogênica.

A reposição hormonal visa, sobretudo, minimizar ou prevenir as alterações decorrentes desse período, que além de físicas, como calores, desconforto, aumento de peso, ardor e infecções vaginais e sintomas sexuais, como falta de lubrificação, diminuição da libido, dor ou sangramento durante a relação, dores de cabeça, desânimo, e alterações neuropsíquicas (depressão, nervosismo e insônia, entre outras) que podem iniciar-se no climatério ou acentuar-se quando existe alguma destas alterações; havendo, em geral, uma grande regressão destes sintomas com a terapia estrogênica.

Atualmente há poucas contra-indicações à terapia hormonal na pós-menopausa, já que são muitos os benefícios em relação aos riscos. As contra-indicações podem ser absolutas ou relativas.

Constituem contra-indicações absolutas as pacientes com câncer de mama e do endométrio, as portadoras de meningioma e melanoma; que apresentaram fenômenos tromboembólicos na vigência de contraceptivo hormonal oral ou de hormônios na pós-menopausa; doença hepática ou renal aguda; insuficiência hepática ou renal grave; hipertensão arterial severa e diabete mellitus descompensado.Constituem contra-indicações nas pacientes com risco para câncer de mama e de endométrio; doença tromboembólica pregressa; miomas uterinos; endometriose e colelitíase.

Quanto ao tratamento, hoje já existem e pode-se encontrar diferentes tipos de tratamentos e métodos usados para fazer a reposição hormonal. Há três classes de hormônios:

Natural: Cuja fonte é a natureza (animal, vegetal, mineral) sem sofrer nenhuma modificação artificial;

Sintético: Produzido por meio de um processo artificial, em laboratório;

Bioidêntico: Hormônio cuja estrutura molecular é idêntica a do equivalente encontrado no organismo humano.

Neles, os estrogênios podem ser administrados por via oral, transdérmica, na forma de adesivos, por gel de absorção percutânea; por via nasal e também como spray. Além dos progestágenos, que são administrados por via oral.

Por Malanny Serejo / Fonte:drauziovarella./reposicaohormonal.com.br

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário