Reposição Hormonal Feminina

Controversa, a Terapia de Reposição Hormonal (TRH) é um tratamento para a menopausa, fase natural da vida da mulher onde ela passa do estágio reprodutivo para o não reprodutivo. Definida pela parada das menstruações e diminuição na produção do hormônio estrogênio, a menopausa ocorre por volta dos 45 ou 55 anos; e quase sempre vêm acompanhada de sintomas nada agradáveis. Onde teriam seus efeitos controlados através da reposição do estrogênio. Um procedimento polêmico, que gera muita discordância dentre os profissionais da área médica.

Uma parte dos ginecologistas saem em defesa do tratamento e recomendam a reposição hormonal feminina as suas pacientes que, segundo eles, é totalmente benéfica para as mulheres, auxiliando-as no combate aos males típicos da menopausa (ondas de calor, suores noturnos, insônia, baixa do desejo sexual, irritabilidade, depressão, osteoporose, aumento do risco de doenças cardio-vasculares, ressecamento vaginal, dor durante o ato sexual e diminuição da atenção e memória). Além de reduzirem as chances de fraturas de vértebras (coluna) e de bacia (derivadas da osteoporose), e de doenças cárdio-vasculares, como o infarto e o derrame.

Pelo outro lado, outros integrantes dessa área médica contestam veemente os benefícios da TRH, e apontam os riscos que o uso prolongado do estrogênio pode acarretar nas mulheres. De acordo com eles, o tratamento estaria ligado ao desencadeamento de algumas doenças na mulher, dentre elas, risco de câncer endométrico, incremento na gordura corporal, retenção de sal e de fluidos, depressão e dores de cabeça, prejuízos no controle de açúcar no sangue (hipoglicemia), perda de zinco e retenção de cobre, redução nos níveis de oxigênio nas células, doenças da vesícula biliar, aumento da possibilidade de fibrocistos no seio e de fibrose uterina, interferência na atividade da tireóide, etc.

Contra-indicado para os casos de câncer de mama, tromboembolismo, anemia falciforme, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, diabetes mellitus, epilepsia, cefaléia, porfiria, câncer de mama, câncer de endométrio e tabagismo, os benefícios e efeitos colaterais da reposição hormonal feminina variam de mulher para mulher. Por isso, controvérsias à parte, é importante que a mulher, antes de se submeter à terapia hormonal, busque orientação com um medico de sua confiança para esclarecer todas as suas dúvidas em relação aos prós e contras do tratamento.

Por Malanny Serejo / Fonte: www.boasaude.uol.com.br.

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

Deixe um comentário