Transtorno bipolar- sintomas e tratamentos

bipolar-transtorno

O transtorno bipolar é uma doença que antigamente era chamada de psicose maníaco-depressiva uma doença psiquiátrica caracterizada por alternância de fases de depressão e de hiperexcitabilidade.

Atualmente, os médicos dizem apenas “transtorno bipolar”. O humor de quem sofre desse mal se alterna entre dois polos: da euforia extrema à tristeza absoluta – daí vem esse nome.

O problema costuma surgir por volta dos 24 anos, mas também pode se manifestar em crianças e adolescentes.

Os tratamentos disponíveis são eficazes porem devem ser acompanhados por um psiquiatra e fazer uso de medicação diáriamente para controlar as mudanças bruscas de comportamento e aliviar os sintomas.

O psiquiatra pode receitar um antidepressivo para diminuir os sintomas impulsivos e as mudanças de humor. Medicamentos antipsicóticos são prescritos para aliviar a sensação de obsessão. O Sistema Único de Saúde (SUS) realiza gratuitamente o tratamento da doença.

O acompanhamento médico de perto, e comunicação aberta sobre as preocupações sobre o tratamento, podem fazer diferença na sua eficiência. Embora os episódios de mania e depressão naturalmente venham e vão, é importante entender que o transtorno bipolar é uma doença que atualmente não tem cura. Seguir o tratamento, até nos momentos em que a pessoa está bem, pode ajudar a manter a doença sobre controle e reduzir as chances de ter episódios recorrentes mais graves.

Os principais sintomas de quem tem transtorno bipolar são divididas em duas fases:

Fase da euforia

. Alegria exagerada
. Agitação física e mental
. Sensação de ter poderes especiais
. Ideias grandiosas
. Aumento do desejo sexual
. Insônia

Fase da depressão

. Tristeza, irritabilidade
. Perda ou aumento de apetite
. Dificuldade de concentração
. Pensamento de morte ou suicídio

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

1 Comentário

  • Parabéns pelo post abordando transtorno bipolar do humor. É sempre bom ver pessoas preocupadas em divulgar a doença. É desta maneira que o preconceito pode diminuir. Já sabemos e infelizmente que até 2020 depressão será a segunda maior causa de mortes, só perdendo para doenças do coração. Quanto mais pessoas estiverem conscientes da gravidade da questão, talvez consigamos lidar melhor com isso.

Deixe um comentário