Tratamento para mau hálito – Dicas importantes

O mau hálito é problema que incomoda muita gente. A halitose não é uma doença, mas um sintoma, que pode ter diversas origens. Em geral, contudo, o odor pode vir da boca ou dos pulmões.
É muito comum durante o periodo da manhã, todo mundo ter mau hálito devido à menor produção de saliva.

Com isso, ocorre a descamação da mucosa bucal, estimulando a proliferação de bactérias que se alimentam da pele solta e liberam gases com cheiro ruim. Além disso, o longo período em jejum faz o organismo queimar a gordura corporal, o que também gera odores desagradáveis.

No jejum prolongado, ocorre hipoglicemia (baixo índice de açúcar no sangue) e o organismo, carente de glicose para funcionar, passa a utilizar gordura própria do corpo como fonte de energia, liberando compostos sulfurosos, que entram na corrente sanguínea, saindo pela boca durante a expiração.


Ao acordar, pela manhã, a simples higiene bucal e o desjejum costumam resolver o problema – mas, caso isso não funcione e o cheiro continue, é provável que a limpeza da boca não esteja sendo feita corretamente. O acúmulo de resíduos alimentares na boca leva à formação de saburra lingual (uma camada branca sobre a língua) e placa bacteriana sobre os dentes.
Muitas pessoas, no entanto, apresentam mau hálito crônico, gerando desconforto e até complexos durante o falar muito próximo de alguem. Nesse caso, a origem do sintoma pode ser mais complicado, decorrendo de possíveis doenças da orofaringe, bronco-pulmonares, hepáticas, diabetes, fumo, falta de vitaminas A e D, cáries profundas, sinusite, rinite, doença periodontal (afeta gengivas e ossos de base dos dentes), entre outras.
Para previnir e evitar o mau hálito vale reforçar a importância de uma boa higienização bucal, que requer, não só o uso de uma escova correta e fio dental, mas uma perfeita limpeza do dorso da língua. Quem tem tendência ao mau hálito deve evitar comidas gordurosas, frituras e produtos com cheiro forte, bem como bebidas alcoólicas e cigarro.

Pessoas com anomalias dentofaciais que apresentem problemas de dentes apinhados, impossibilitando a passagem de fio dental, também costumam ser vítimas frequentes da halitose.
O problema é que muitas pessoas tem mau hálito e convive com o cheiro da própria expiração,pois acaba acostumando com o proprio cheiro desenvolvendo a chamada “fadiga olfatória”, que o torna incapaz de distinguir seu odor bucal alterado.

Fonte: Doutor Gerson Köhler (CRO 3921 – PR)
Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial
Site: www.kohlerortofacial.com.br

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Ainda sem avaliação)

2 Comentários

Deixe um comentário