Tudo sobre a Pílula do dia Seguinte

Pílula do dia seguinte – funcionamento

A gravidez é uma decisão muito séria, que merece ser avaliada e pensada com muita atenção. Quando isso acontece sem planejamento, sua vida pode mudar completamente. Para evitar que você não possa controlar a ordem dos acontecimentos em sua vida, existem os medicamentos anticoncepcionais, mas e quando eles falham? Aí chega a invenção que salva muitas pessoas de iniciarem uma família antes do momento desejado, é a pílula do dia seguinte.

Quando se fala nessa pequena atitude, com um poder tão grande, muitas opiniões se divergem e dúvidas também se formam. Afinal, como ela funciona? Esse é um dos principais questionamentos. A pílula pode se apresentar de dois tipos, dividida em duas doses ou dose única. A primeira opção deve ser ingerida logo após o ato sexual e a segunda dose após 12 horas. A dose única pode ser consumida assim que ocorrer a relação. Qualquer uma das duas opções deve ser utiliza no máximo até 72 horas após a relação sexual. Quanto maior o tempo de espera, menor é o efeito do medicamento.

Muitas pessoas acreditam que a pílula tem ação abortiva, o que não faz sentido algum. O medicamento age antes que a gravidez ocorra. Se não aconteceu ainda a fecundação, a pílula irá dificultar o processo de encontro do espermatozóide com o óvulo. Se já houver ocorrido a fecundação, a pílula causará uma descamação do útero que impedirá a implantação do ovo. Ocorrida a implantação o medicamento não tem efeito algum.

É sempre bom pedir o auxílio de um médico antes de ingerir uma pílula do dia seguinte, até porque o correto é que sua venda seja apenas sob prescrição médica, mas é sempre possível encontrar farmácias que comercializam sem a receita.

 

Por Ingrid de Castro.

Deixe um comentário